Senado dos EUA autoriza voos de ônibus espaciais até meados de 2011

Às vésperas das eleições, congressistas temem perder votos dos trabalhadores que ficariam desempregados

REUTERS

15 de julho de 2010 | 17h56

Um comitê de fiscalização do Senado americano aprovou, por unanimidade, um plano para adiar a aposentadoria dos ônibus espaciais, como parte de um acordo para salvar empregos diante da determinação do governo Obama de encerrar o projeto de retorno de astronautas à Lua.

 

Obama descarta retorno à Lua e prevê pouso em Marte depois de 2035

 

O plano para a Nasa aprovado pelo Comitê de Ciência, Comércio e Transportes apoia o fim do Programa Constellation de volta à Lua, por enquanto o único sucessor dos ônibus espaciais para o voo espacial tripulado.

 

Mas o plano de gastos trienal da Nasa aprovado pelo comitê acrescenta uma missão ao programa de ônibus espaciais, a ser realizada em meados de 2011, e mantém contratos, equipamentos e pessoal a postos para o caso de voos adicionais serem necessários.

 

A aposentadoria iminente dos ônibus espaciais ameaça milhares de empregos no Centro Espacial Kennedy, na Flórida, bem como empregos no Alabama, Texas e Utah, às vésperas das eleições parlamentares americanas.

 

Atualmente existem dois voos programados para completar a construção da Estação Espacial Internacional (ISS).

 

O plano do Senado determina que a Nasa comece imediatamente num novo sistema de lançamento ao espaço e, embora mantenha o apoio ao plano de Obama de estimular a criação de uma geração de naves tripuladas privadas, corta profundamente os incentivos previstos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.