Kimberly White/Reuters
Kimberly White/Reuters

Serviço avisa sobre o mau hálito

E-mail ou carta enviado por associação alerta pessoa sobre o problema sem identificar remetente

Felipe Oda, Jornal da Tarde,

02 de setembro de 2011 | 15h16

Como avisar, sem constrangimento, aquele amigo ou colega de trabalho sobre o mau hálito? Por e-mail ou carta. A Associação Brasileira de Halitose (ABHA) oferece o serviço "SOS Mau Hálito", que comunica a pessoa sobre o problema (leia a mensagem enviada), sem identificar o remetente do alerta. Basta acessar a página: http://www.abha.org.br/sosmauhalito.

"É muito constrangedor para quem avisa e para a pessoa avisada", diz Marcos Moura, presidente da associação e dentista habilitado no tratamento à halitose. Por mês, cerca de 70 notificações são encaminhadas. "E nunca recebemos reclamações das pessoas notificadas", completa Moura.

Em pesquisa com 127 pacientes com mau hálito atendidos por profissionais da ABHA, 126 afirmaram que gostariam de ter sido avisados do problema. "O portador de halitose não sente. Ocorre a fadiga olfatória. O nariz não identifica mais o cheiro ruim."

Estima-se que 30% da população brasileira, aproximadamente 57 milhões, sofram ocasional ou cronicamente com o mau hálito.

E ao contrário do que a maioria pensa, o problema raramente tem ligação com o estômago. "A halitose pode ser provocada por 60 motivos. Raros são os casos relacionados aos problemas estomacais", explica Arany Tunes, membro da International Society for Breath Odor Research (Isbor), entidade que pesquisa exclusivamente a halitose.

Segundo Tunes, os principais motivos são doenças, hábitos inadequados e desequilíbrios. "Diabete, amigdalites e leucemia são algumas doenças. A queda na produção de saliva é o principal desequilíbrio - pode ser consequência do uso de medicamentos. Já os hábitos são o consumo do álcool, fumo e má higienização", lista o membro da Isbor.

Porém, Moura ressalta: "a falta de higienização adequada predispõe o individuo a ter mau hálito, mas a limpeza correta não garante um bom hálito".

Para a manutenção bucal, os especialistas indicam a escovação após refeições, fio dental, limpeza da língua, hidratação e alimentação a cada três horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.