Servidores da educação e saúde fazem greve em Osasco

Cerca de 200 servidores públicos realizam nesta manhã um protesto em frente a prefeitura de Osasco, na Grande São Paulo, reivindicando aumento salarial. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, os trabalhadores dos setores de educação e saúde entraram em greve hoje.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

06 de junho de 2011 | 11h51

Às 10h30, os manifestantes estavam em frente a prefeitura, na Avenida Bussocaba, no centro da cidade, com um carro de som. A Polícia Militar acompanha o protesto desde 9 horas. Segundo a corporação, o ato é pacífico. Procurada, a prefeitura disse que apura o número de funcionários que aderiram à greve.

O Sindicato dos Servidores da Saúde Pública do Município de Osasco (Sinsso) pede reajuste de 20%, pagamento integral do vale-transporte, entre outros benefícios. Na saúde, a greve foi decretada neste sábado e atinge principalmente o Hospital Antônio Giglio, a Maternidade Amador Aguiar, a UPA do Pestana e a UBS de Piratininga.

Tudo o que sabemos sobre:
greveservidoreseducaçãosaúdeOsasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.