Servidores do caso césio 137 em GO vão receber pensão

Funcionários que trabalharam no socorro às vítimas do acidente radiológico terão direito a R$ 482

da Redação, estadao.combr

25 de abril de 2008 | 18h57

Os 199 funcionários públicos estaduais que trabalharam na limpeza, descontaminação, segurança e socorro às vítimas do acidente com o césio 137 vão receber uma pensão vitalícia no valor de R$ 482, conforme o decreto assinado nesta sexta-feira, 25, pelo governador de Goiás, Alcides Rodrigues (PP). O benefício era reivindicado desde 2002 por 860 pessoas. A determinação vai beneficiar os policiais militares, bombeiros, funcionários do extinto Consórcio Rodoviário Intermunicipal S/A (Crisa) e da Superintendência de Vigilância Sanitária que trabalharam de forma direta e indireta no acidente ocorrido em Goiânia em 1987. Grande parte desses beneficiados está cadastrado como vítima na Superintendência Leide das Neves (SuLeide) no grupo 3, em que estão reunidas pessoas expostas em menor grau ao césio. O órgão foi criado para descobrir, analisar e acompanhar as vítimas do acidente. "Hoje o governo de Goiás reconhece, oficialmente, o trabalho daqueles que se empenharam diretamente no socorro às vítimas do acidente com césio 137", disse o governador agência de notícias do Estado, Goiás Agora.

Tudo o que sabemos sobre:
Césio 137GoiásGoiânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.