Seul mantém alerta sobre gripe após declaração de pandemia

Autoridades sul-coreanas não descartaram adotar outras medidas caso o vírus se espalhe pelo país

EFE

12 Junho 2009 | 01h12

As autoridades de saúde da Coreia do Sul anunciaram nesta sexta-feira que vão manter o atual nível de alerta sobre a gripe suína no país, apesar da declaração de pandemia global pela Organização Mundial da Saúde (OMS), informou a agência local "Yonhap".

 

O Ministério da Saúde sul-coreano disse que esta decisão foi adotada porque a maioria dos 56 casos confirmados até o momento na Coreia do Sul é de pessoas procedentes do exterior, e porque não ocorreu uma propagação ampla da doença no país.

 

As autoridades sul-coreanas não descartaram adotar outras medidas adicionais caso o vírus se espalhe pelo país. O Governo sul-coreano deve ainda destinar um orçamento adicional para obter 1,3 milhão de doses de uma nova vacina contra a gripe, segundo a "Yonhap".

 

A Coreia do Sul confirmou até o momento 56 casos da gripe suína, e existem outros dois casos suspeitos. Onze pacientes estão isolados e sob tratamento para evitar uma possível propagação do vírus.

 

Japão manterá alerta após declaração de pandemia pela OMS

 

TÓQUIO - O Ministério da Saúde japonês disse nesta sexta-feira que não aumentará o alerta da gripe suína após a declaração de pandemia da Organização Mundial da Saúde (OMS), já que a situação é estável e os casos não aumentam com mais rapidez.

 

O Japão é o país asiático com mais casos da nova gripe: 549, segundo as últimas informações do Ministério da Saúde japonês. Na opinião das autoridades sanitárias, o ritmo de evolução da doença não mudou, e por isso não serão necessárias novas medidas. O número de casos disparou durante o mês de maio no Japão, chegando aos 200 em apenas alguns dias.

Mais conteúdo sobre:
GRIPE SUÍNA PANDEMIA JAPÃO COREIA DO SUL

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.