Siameses que nasceram no Pará estão em estado grave

De acordo com boletim médico, bebês respiram com ajuda de aparelhos e fazem uso de drogas vasoativas para melhorar o desempenho do coração

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

03 de janeiro de 2012 | 15h23

O estado de saúde dos gêmeos siameses é grave, segundo informou nesta terça-feira, 3, a Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará.

Segundo boletim médico, eles respiram com ajuda de aparelhos e fazem uso de drogas vasoativas para melhorar o desempenho do coração. Os bebês aguardam os resultados de vários exames, inclusive de angioressônancia (para visualizar as veias e artérias do corpo), que deve sair ainda nesta tarde.

As crianças nasceram no dia 19 de dezembro em Anajás, na ilha do Marajó, e foram transferidas no dia seguinte para Belém por apresentarem uma anomalia genética que faz com que ambos dividam um único corpo.

Os bebês, batizados de Emanuel e Jesus, seriam gêmeos idênticos, mas nasceram com duas cabeças. Exames constataram que ambos têm cérebros distintos e duas colunas, mas dividem os outros órgãos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.