Silvio Berlusconi lamenta morte de Eluana Englaro

'É muito triste que tenha sido impossível uma ação do governo para salvá-la', disse o primeiro-ministro da Itália

Ansa,

09 Fevereiro 2009 | 18h46

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, disse ter recebido com "profunda dor" a notícia da morte de Eluana Englaro, paciente que há 17 anos vivia em estado vegetativo.   Veja também:  Morre Eluana Englaro, depois de 17 anos em estado vegetativo  Você concorda com a decisão de deixar Eluana morrer? Perguntas e respostas: entenda o caso  Veja tudo que foi publicado sobre o caso de Eluana Englaro   "É muito triste que tenha sido impossível uma ação do governo para salvar uma vida", disse Berlusconi.   Desta forma, o premier se referiu ao projeto de lei que havia encaminhado ao Parlamento do país em caráter de urgência, com o objetivo de evitar a morte da italiana. A medida seria votada amanhã pela casa, e posteriormente seguiria para a Câmara dos Deputados.   Durante anos, o pai de Eluana, Beppino Englaro, travou uma batalha para obter na Justiça a autorização para suspender a alimentação que mantinha funcionando o organismo de sua filha.   Um parecer favorável foi conseguido no ano passado junto ao Tribunal de Apelação de Milão, e ratificado pelo Supremo italiano.   Eluana deixou de receber alimentação e hidratação artificial no último sábado. Ela estava internada na clínica La Quiete, em Udine, norte da Itália.

Mais conteúdo sobre:
Eluana Englaro eutanásia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.