Reprodução
Reprodução

Site do Ministério da Saúde sobre covid-19 volta ao ar apenas com informações das últimas 24 horas

Página na internet traz apenas os casos de recuperados, novas contaminações e óbitos; demais dados sobre histórico da doença no País foram omitidas. Informações que constavam em outro site do governo também estão fora do ar

André Borges, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2020 | 17h25

BRASÍLIA – Depois de retirar do ar por um dia o site que mantinha sobre informações detalhadas a respeito a covid-19, o Ministério da Saúde atualizou a página na internet com informações básicas.

O site traz apenas as informações sobre os casos de pessoas recuperadas da doença, os casos de novas contaminações e os óbitos. Todas as demais informações históricas da doença no País foram omitidas da população.

Na página, o governo informa que “O processo de atualização dos dados sobre casos e óbitos confirmados por covid-19 no Brasil é realizado diariamente pelo Ministério da Saúde através das informações oficiais repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde das 27 Unidades Federativas brasileiras” e quie esses “dados fornecidos pelos Estados são consolidados e disponibilizados publicamente todos os dias, em torno das 19h”. Não é o que ocorria até então.

Durante semanas, o ministério divulgava as informações até as 17 horas, com coletivas de imprensa para detalhar os dados. Depois, passou a atrasar essas informações sucessivamente, até que o próprio presidente Jair Bolsonaro declarou que não teria mais dados em tempo de serem divulgados pelo Jornal Nacional, da TV Globo, às 20h30. 

Desde sexta, o governo tem sido criticado pela falta de transparência na divulgação dos dados. Lideranças políticas, instituições e representantes do Judiciário e Legislativo reagiram à decisão de reduzir a publicidade das informações. A despeito da subnotificação de casos pelo País, o futuro secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Wizard, disse que os números divulgados até agora seriam “fantasiosos” e que Estados e Municípios teriam inflacionado números de suas tragédias para receber mais recursos.

Os arquivos digitais que traziam detalhes de todo o histórico da doença no País, e que ficavam disponíveis em https://opendatasus.saude.gov.br/group/dados-do também saíram do ar. 

Procurado pela reportagem, o Ministério da Saúde informou que ainda não há informações se esses arquivos voltarão a ser disponibilizados e que o site ainda passa por “ajustes”. A pasta também não quis comentar as declarações feitas por Carlos Wizard, sobre a recontagem de mortos registradas oficialmente pelo governo.

A Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), em nota, afirmou que "repudia a falta de transparência doMinistério da Saúde na divulgação de dados confirmados e de óbitos por COVID-19 no país. É fundamental que em uma pandemia de tamanha magnitude tenhamos os números reais. Somente com informações epidemiológicas confiáveis será possível a avaliação das medidas atuais e o planejamento de ações para combater a propagação do novo coronavírus, que vem causando danos avassaladores no mundo e especialmente no Brasil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.