Sofia pode esperar até seis meses por transplante nos EUA

A menina foi levada para um hospital americano porque a cirurgia de que ela necessita não é realizada no Brasil em crianças

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

03 Julho 2014 | 17h06

SOROCABA - A menina Sofia Gonçalves de Lacerda, de 6 meses, pode ter de esperar seis meses para realizar o transplante de que necessita para sobreviver, no Jackson Memorial Hospital, em Miami, nos Estados Unidos.

A previsão da equipe médica que atende o bebê, portador da Síndrome de Berdon, doença rara que afeta o aparelho digestivo, baseia-se no tempo médio para conseguir um doador. Nesta quinta-feira, 3, a criança passou pela primeira bateria de exames no hospital americano, para onde foi levada no dia anterior.

A menina foi para os Estados Unidos porque o transplante não é realizado em crianças dessa idade no Brasil.

A cirurgia será custeada pelo governo brasileiro. Liminar dada pelo Tribunal Regional Federal (TRF) de São Paulo determinou o depósito judicial de R$ 2,4 milhões para pagar o procedimento de alto custo. A doença impede que a criança se alimente por via oral ou endogástrica e foi diagnosticada quando o bebê ainda estava no útero materno. A mãe, Patrícia Lacerda, assumiu o risco de ter o bebê e iniciou uma campanha nacional para conseguir a cirurgia salvadora.

Mais conteúdo sobre:
Sofia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.