SP amplia capacidade de detecção dos tipos de vírus da dengue

Instituto de São José do Rio Preto adotará método que identifica os sorotipos da doença em até dois dias

Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

20 Abril 2011 | 13h00

São Paulo, 20 - A técnica de detecção dos tipos de vírus da dengue, já utilizada na capital paulista pelo Instituto Adolfo Lutz, vai ser ampliada para outra localidade do Estado, segundo a Secretaria de Saúde.

Veja também:

link Pesquisadores brasileiros desenvolvem testes com vacinas contra a dengue

link Casos de dengue em São Paulo diminuíram 86% em relação a 2010

linkBrasil: Número de casos de dengue até março é 43% menor do que em 2010

videoDengue tipo 4: Entenda qual é o risco

especialEspecial: A dengue no Brasil

O método PCR em Tempo Real, que permite a rápida detecção do genoma do vírus causador da doença, implantado no Instituto desde 2010, agora também está disponível no laboratório regional do instituto em São José do Rio Preto, no interior do Estado.

Segundo a secretaria, São Paulo é o único estado a adotar a nova técnica de PCR em Tempo Real, que permite identificar os sorotipos da dengue em até dois dias. Pelo exame convencional o resultado pode levar até 10 dias.

Monitoramento por amostragem realizado pela Secretaria aponta que 92% dos casos de dengue neste ano são do tipo 1, 4% são do tipo 2 e 3%, do tipo 4. No momento houve identificação do sorotipo 4 da dengue apenas na região de São José do Rio Preto.

Mais conteúdo sobre:
dengue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.