Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

SP confirma mais duas mortes por sarampo e Estado reforça necessidade da vacina

Mulher de 31 anos e bebê de 26 dias são as novas vítimas da doença na capital paulista; Estado já soma mais de 5 mil casos

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2019 | 16h29

SÃO PAULO - A Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo confirmou nesta quarta-feira, 25, mais duas mortes por sarampo na capital paulista. Com isso, já são cinco as vítimas fatais da doença no Estado de São Paulo esse ano. Os óbitos desse ano são os primeiros após 22 anos sem registros do tipo.

As vítimas fatais são uma mulher de 31 anos sem histórico de vacinação e um bebê de 26 dias, que, por causa da pouca idade, ainda não podia ser imunizado. Anteriormente, já haviam sido confirmadas duas mortes na capital e uma em Osasco.

Ainda de acordo com a Secretaria da Saúde, já são 5.139 casos da doença confirmados no Estado, dos quais 2.897 (56,3%) ocorreram na capital, a cidade mais afetada.

Diante do cenário, a Secretaria da Saúde ressaltou a necessidade de vacinação de todas as pessoas ainda não imunizadas. O Programa Estadual de Imunização prevê que crianças e adultos, com idade entre 1 e 29 anos, tomem duas doses da vacina contra o sarampo. Acima desta faixa e até 59 anos, é preciso ter uma dose. Não há indicação para pessoas com mais de 60 anos pois esse público provavelmente teve contato com o vírus no passado.

Excepcionalmente por causa do surto, bebês entre seis meses e 1 ano também estão sendo vacinados com uma dose. Essa aplicação, no entanto, não será contabilizada na caderneta de vacinação. Todos os bebês deverão voltar aos postos aos 12 e 15 meses para tomar as duas doses de rotina.

A secretaria recomenda ainda que pais de crianças com idade inferior a 6 meses evitem exposição a aglomerações, mantenham higienização e ventilação adequadas de ambientes e procurem procurem imediatamente um serviço de saúde diante de qualquer sintoma da doença, como manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite e manchas brancas na mucosa bucal. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.