SP ganha banco para transplante de pele

São Paulo passou a contar com um banco para transplante de peles, ossos, vasos, tendões, nervos e cartilagens. A unidade pertence ao Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE). Em âmbito paulista, o Hospital das Clínicas também dispõe de banco de peles. Com investimentos de R$ 120 mil, a nova ala do HSPE ocupa 180 metros quadrados, em dez salas com refrigeração. O local permitirá coleta, preparo e estocagem de tecido músculo esquelético, para transplantes em vítimas de queimaduras, acidentes automobilísticos, câncer ósseo e outros males que exigem substituição de tecido, cartilagem, tendões, ossos e vasos. A captação será feita apenas de cadáveres e não desfigura os doadores. Isso é possível porque os órgãos e tecidos são retirados, na forma de enxertos, de áreas não expostas, de tal modo que o corpo é reconstituído sem deixar deformação. Além do benefício direto do enxerto, o transplante propicia redução do tempo de internação dos pacientes. São Paulo responde hoje por 40% do total brasileiro de transplantes de órgãos. A meta da Secretaria Estadual da Saúde é ampliar o segmento de ossos e tecidos. O projeto seguiu padrões internacionais, de maneira a funcionar em total conformidade com as normas técnicas e de qualidade exigidas pelo Sistema Nacional de Transplantes.

Agencia Estado,

06 de abril de 2006 | 09h49

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.