Divulgação / Governo do Estado de SP
Divulgação / Governo do Estado de SP

São Paulo registra 25 casos da variante brasileira e sete da britânica, aponta governo

A cidade de Araraquara, que registrou 12 casos da nova cepa, entrou em lockdown para conter a propagação da doença. Confirmações ocorrem por sequenciamento genético e investigação epidemiológica dos casos

Redação, O Estado de S. Paulo

15 de fevereiro de 2021 | 12h51
Atualizado 15 de fevereiro de 2021 | 19h58

   

SÃO PAULO - O Estado de São Paulo registrou até esta segunda-feira, 15, 25 casos da nova variante brasileira da covid-19, originalmente detectada em Manaus. O dado é da Secretaria Estadual da Saúde, que informou também que outros sete casos da variante britância da doença foram confirmados.

No caso da variante brasileira, os casos foram registrados em Araraquara (12), São Paulo (9), Jaú (3) e Águas de Lindoia (1). Um outro caso em Campinas ainda não foi confirmado, segundo o governo. No caso da variante britânica, as confirmações ocorreram em São Paulo (5) e Sorocaba (2). A cidade de Araraquara entrou em lockdown para tentar conter a propagação da doença. 

A confirmação de novas variantes ocorre por meio de sequenciamento genético, explicou a secretaria, "além da investigação epidemiológica dos casos, como históricos de viagens e contatos". "Até o momento, não há comprovações científicas de que sejam variantes mais transmissíveis ou provoquem quadros mais graves, nem evidências referentes à capacidade de resposta imune das vacinas disponíveis. Pesquisadores em todo o mundo estudam o comportamento da pandemia e as mutações do vírus (SARS-CoV-2)", informou a pasta.

Por isso, a secretaria recomenda as mesmas medidas para combate ao novo coronavírus. "Assim, as mesmas medidas já conhecidas pela população seguem cruciais para combater a pandemia do coronavírus: uso de máscara, que é obrigatório em SP; higienização das mãos (com água e sabão ou álcool em gel); distanciamento social; e a vacinação contra COVID-19, respeitando-se o cronograma e os públicos-alvo vigentes, conforme estabelecido pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações) e pelo PEI (Plano Estadual de Imunização) do Governo de São Paulo."

Em entrevista à TV Globo, o secretário estadual de Saúde,Jean Gorinchteyn, explicou que os casos passaram por ressequenciamento e acabaram sendo classificados novamente. "Agora, pela manhã, a pesquisadora Ester Sabino (da Universidade de São Paulo) nos comunicou que, três cepas que tinham sido colocadas como cepas britânicas, foram resequenciadas e afastou-se a possibilidade da cepa britânica, porém, aumentou a estatística. Nós tínhamos oito casos em Araraquara para a cepa P1, do Amazonas, e elas passaram a consagrar como 12 casos agora. Por outro lado, nos deixa mais tranquilos, porque não temos duas cepas diferentes circulando, mas uma nova cepa", informou ao telejornal.

Ao Estadão, a pesquisadora explicou que as amostras foram sequenciadas utilizando uma nova técnica. "Os resultados da sexta-feira foram baseados em uma técnica nova de PCR para tipagem, mais rápida e barata. Ainda não tinhamos sequenciado os casos. Durante o final de  semana, nós sequenciamos e as amostras P1 confirmaram o resultado, mas as três amostras suspeitas de B 1.1.7 não foram confirmadas por sequenciamento".

Gorinchteyn informou ainda que os 12 casos do município são autóctones, assim como três de Jaú e um da capital, que foi anunciado no último sábado, 13. Dessa forma, a nova variante já está circulando em quatro municípios do Estado.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusJean Gorinchteyn

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.