WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

SP tem 66 casos suspeitos de coronavírus e infecção de parentes de empresário é descartada

Governo do Estado vai destinar R$ 14 milhões para campanha de conscientização sobre a doença; ações na TV, rádio e transporte público começam na próxima semana

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

28 de fevereiro de 2020 | 14h55

SÃO PAULO - O número de casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus, o Covid-19, caiu de 85 para 66 no Estado de São Paulo, segundo balanço divulgado nesta sexta-feira, 28. Três parentes do empresário de 61 anos que foi o primeiro caso confirmado da doença no País estão entre os casos descartados.

"Até ontem, tínhamos 85 casos suspeitos. Dos 85, estamos com 66. Quinze casos já foram descartados laboratorialmente, 22 foram excluídos porque não preenchiam os critérios da OMS (Organização Mundial da Saúde): ter coriza, tosse e vir de algum país com contaminação. E, no dia 28, foram incluídos 18 suspeitos", explica  Helena Sato, diretora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde.

Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann disse que os três parentes do homem diagnosticado com a doença foram submetidos a exames e a infecção foi descartada. "Os três casos foram excluídos laboratorialmente." No momento, 31 pessoas que tiveram contato com o caso suspeito estão sendo acompanhadas.

Segundo o infectologista David Uip,  coordenador do Centro de Contingência para o Coronavírus, o empresário, que se recupera em casa, passa bem. "O paciente está muito bem e sairá da quarentena assim que terminarem os sintomas clínicos."

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Campanha

Ainda nesta sexta-feira, o governador João Doria (PSDB) anunciou que o governo do Estado vai investir R$ 30 milhões em um programa de prevenção ao coronavírus, dos quais R$ 14 milhões serão destinados a uma campanha de conscientização que será veiculada em meios de comunicação e redes sociais.

A ação, que será iniciada na próxima semana, prevê ainda a divulgação de informações em escolas da rede estadual e no transporte público. Os R$ 16 milhões restantes serão utilizados para apoio operacional da Secretaria de Estado da Saúde.

 "É uma campanha para orientar as pessoas em relação ao tema: como se comportar, o que evitar, o que não é problema, elaborada sob orientação do Centro de Contingência. Um dos fatores mais importantes para que a população não tenha pânico é a informação", explica o governador.

Segundo Doria, uma cartilha em cinco idiomas (português, inglês, espanhol, italiano e mandarim) também vai começar a ser compartilhada a partir da próxima semana no site do governo e uma versão será entregue nos aeroportos e no Porto de Santos.

"Metrô e trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) serão atingidos em seus canais de comunicação na quarta-feira da próxima semana", completa.

Cleber Mata, secretário de Comunicação, informou ainda que haverá uma semana de conscientização sobre a doença nas escolas da rede estadual.

Uip reforçou a orientação de que as pessoas busquem as unidades de saúde apenas se apresentarem sintomas persistentes de doenças respiratórias.

"Pacientes com sintomas leves devem ficar em casa. Hospital é para doente grave. Quando deve procurar (ajuda)? Quando tiver desconforto maior, como febre por mais de 48 horas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.