Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

SP tem meio milhão de pessoas infectadas por covid-19, informa governo

Após falha no sistema de processamento do registro de casos, São Paulo chega a 514.197 pessoas com a doença; mortes superam marca de 22 mil

Bruno Ribeiro e Marina Aragão, O Estado de S. Paulo

29 de julho de 2020 | 13h35

SÃO PAULO - Depois de uma pane que fez com que o governo do Estado não divulgasse na última terça-feira (28) os dados sobre a evolução da pandemia do coronavírus, a Secretaria Estadual da Saúde paulista informou nesta quarta (29) que São Paulo superou a marca de 500 mil pessoas infectadas por covid-19 no Estado. São 514.197 confirmações da doença, que já provocou 22.389 mortes. 

A pane, resultado da impossibilidade dos técnicos paulistas de acessar dados do Ministério da Saúde após uma atualização de sistemas, fez com que, na terça, os dados da saúde não fossem divulgados, o que comprometeu a análise da evolução da pandemia. Segundo o governo, foram 383 mortes na terça-feira e 330 nesta quarta. Já o total de casos foi de 12.647 na terça e 13.896 nesta quarta. 

O Centro de Contingência do Coronavírus já havia divulgado, há duas semanas, uma projeção de que o total de casos chegaria a até 600 mil no Estado até o fim deste mês. O secretário executivo do centro, João Gabbardo, afirmou que “nós temos de abril até julho um aumento de 500% no número de testes que foram feitos, sendo uma média de 28.510 por dia”, ao relacionar o aumento de casos confirmados ao aumento do número de testes. Ele destacou que o número de mortes e de internações não acompanham essa aceleração.

Gabbardo defendeu o aumento do número de testes para rastrear a doença e evitar aumento de internações e mortes.  "Se os prefeitos acharem que é melhor não testar para não aumentar os indicadores, o prefeito vai ser surpreendido não com o aumento do número de casos, mas com o aumento do número de internações e óbitos."

O secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, voltou a comentar sobre a pane que havia impossibilitado a divulgação dos dados. Ele disse que "São Paulo faz uma tabulação digital, automática, e frente à modificação do sistema do Ministério da Saúde, houve uma incompatibilidade no acesso a essas informações. Dessa maneira, passamos a ter problemas semana passada, esse problema voltou nesta semana". 

Vale do Ribeira

Durante a coletiva, Jean Gorinchteyn mencionou ainda que a região do Vale do Ribeira apresentou um aumento da taxa de ocupação de leitos de UTI - percentual que chegou a 89%. Devido a isso, há a recomendação para que três municípios retornem para a fase vermelha: Registro, Pariquera-Açu e Cajati.

“Esses três municípios em conjunto representam 58% dos casos e 41% dos óbitos no Vale do Ribeira, portanto, essa é a recomendação”, informou o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. De acordo com Vinholi, até o fim desta semana, mais 10 leitos serão instalados no hospital de Registro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.