SP vai vacinar contra H1N1 professores dos ensinos fundamental e médio

Terão acesso à vacina 500 mil profissionais acima de 40 anos que trabalham em escolas públicas e privadas

estadão.com.br

30 Junho 2010 | 10h10

SÃO PAULO - A Secretaria da Saúde de São Paulo decidiu imunizar contra a gripe A (H1N1) os professores e demais profissionais de escolas públicas e particulares de todo o Estado.

As doses já estão disponíveis nos postos de saúde. Terão acesso à vacina cerca de 500 mil profissionais acima de 40 anos que trabalham em estabelecimentos do ensino fundamental e médio. Essa faixa etária não estava contemplada entre os grupos prioritários da campanha nacional de vacinação.

Para se imunizar, basta procurar um posto de saúde e apresentar um holerite ou outro comprovante de trabalho e um documento pessoal com foto. Os postos de saúde funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

"Os professores e demais funcionários são profissionais que atuam diretamente com muitas crianças. O objetivo é evitar que eles fiquem doentes e prejudiquem o ano letivo dos alunos", afirma Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria da Saúde.

A vacinação para esse novo grupo se estenderá até o dia 16 de julho. A vacina é segura e eficaz. A única contraindicação é para quem tem alergia a ovo de galinha.

Desde o dia 8 de março, quando a campanha foi iniciada, até o último dia 24, foram imunizados contra a gripe suína 20.008.481 paulistas, o que representa 47,5% de toda a população estimada do Estado, segundo a Fundação Seade. A proporção de vacinados é maior do que a média nacional e também supera a de países como os EUA. A vacinação contra o vírus H1N1 se encerra nesta quarta-feira, 30, para os todos os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde, com exceção da segunda dose necessária para crianças entre 6 meses e 5 anos incompletos e aquelas até 8 anos de idade com doenças crônicas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.