Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Suíça investiga se acupunturista infectou 15 pessoas com HIV

Segundo tabloide, vítimas teriam tido contato com vírus entre 2001 e 2005, mas não se sabe como

AP

10 Junho 2010 | 18h33

GENEBRA - Na Suíça, as autoridades investigam se um acupunturista infectou intencionalmente 15 pessoas com o vírus HIV, da aids. O caso chocou o país quando o caso foi revelado pelo tabloide Blick, que informou que as autoridades mantiveram silêncio sobre as acusações desde que receberam a primeira queixa a respeito, há cinco anos.

 

Segundo o magistrado encarregado da investigação, Hermann Fleischhackl, uma investigação foi aberta depois que uma suposta vítima entrou com uma ação criminal em 2005. Até agora, 19 pessoas com o vírus HIV declararam ter tido contato com o acupunturista, que não foi identificado.

 

"Quinze pessoas acham que sua doença pode ter alguma coisa a ver com o acusado", disse o magistrado à AP. "Quatro pessoas não deram nenhuma explicação para sua infecção ou, pelo menos, não a ligaram ao acusado", afirmou Fleischhackl. De acordo com as autoridades, as pessoas teriam sido infectadas entre 2001 e 2005.

 

O vírus HIV é transmitido através de fluidos corporais como sangue, sêmen ou leite materno, mas não se sabe ao certo como as vítimas foram infectadas.

 

Com base em diversos jornais suíços, algumas das vítimas alegam ter sido alvo de sangue infectado. Mas o magistrado investigador não quis comentar as notícias, dizendo que essa questão se insere nas investigações em curso.

 

Fleischhackl disse também que decidirá só no ano que vem se vai recomendar que acupunturista seja formalmente acusado de disseminar intencionalmente a doença e de provocar severos danos físicos. Os crimes implicam penas máximas de cinco e dez anos de prisão, respectivamente.

Mais conteúdo sobre:
HIV aids acupuntura

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.