Suíça suspende importação de sementes do Egito por E. Coli

Sementes foram responsabilizadas pelo surto da bactéria na Europa; Egito nega a informação

Efe

14 Julho 2011 | 11h40

Genebra, 14 jul (EFE).- A Suíça suspendeu temporariamente a partir desta quinta-feira todas as importações de brotos obtidos a partir de grãos de feno-grego provenientes do Egito e que são considerados a origem da intoxicação da bactéria E. coli na Alemanha e na França.

"Para garantir que os produtos contaminados não sejam colocados em circulação no mercado suíço foi decretada a proibição temporária da importação", informaram as autoridades do país.

A medida, adotada conjuntamente pelo Ministério do Interior e o Escritório Federal de Agricultura, atinge os produtos na forma de grãos, incluindo os que não são destinados ao consumo humano, mas ao plantio e para alimentação de animais. O período da proibição vencerá em 31 de outubro.

A União Europeia adotou uma decisão similar após a confirmação de que os grãos suspeitos de serem os responsáveis pela epidemia de E. coli na Alemanha e na França eram provenientes do Egito.

Segundo as autoridades suíças, o ocorrido nesses dois países demonstrou que "pequenas quantidades do produto contaminado são suficientes para causar um grave dano à saúde".

A epidemia de E. coli causou meia centena de mortes, praticamente todas na Alemanha.

Mais conteúdo sobre:
bactéria E. coli infecção

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.