Marco Ambrosio/Estadão
Marco Ambrosio/Estadão

Sumaré recolhe carros abandonados para prevenir dengue

Expostos às chuvas, os veículos estavam servindo como criadouros ao mosquito transmissor da doença; cidade tem mais de 2 mil casos

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

04 Abril 2015 | 10h41

SOROCABA - Numa ação contra a epidemia de dengue que assola a cidade, a prefeitura de Sumaré, na região de Campinas, fez a retirada de 28 carros que estavam abandonados em vias públicas. Expostos às chuvas, os veículos estavam servindo como criadouros para o mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. A ação prosseguiu inclusive nesta sexta-feira, feriado religioso. Os carros foram levados para um pátio coberto do próprio município.

Em estado de emergência, a cidade tem 2.040 casos e um óbito confirmado. Duas mortes suspeitas estão sob investigação. Outras cidades do interior mantiveram ações contra a dengue no feriado. Em Marília, centro-oeste do Estado, equipes da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) fizeram nebulização de ruas e casas e casas em bairros da zona sul com apoio de servidores municipais e do Corpo de Bombeiros. A cidade tem 11.687 casos confirmados.

Em Rio Claro, região de Campinas, as ações contra a dengue também foram mantidas, com a nebulização de áreas adjacentes à linha férrea da America Latina Logística (ALL). Nesta sexta-feira, uma edição especial do diário oficial de Iracemápolis publicou lei elevando para até R$ 1,6 mil o valor das multas para o dono de imóvel que tiver criadouro do mosquito. A cidade enfrenta epidemia com 276 casos confirmados e uma morte suspeita. Em Limeira, pelo menos 500 cirurgias já foram adiadas, desde que os hospitais passaram a dar prioridade ao atendimento de pacientes com dengue. 

Mais conteúdo sobre:
Dengue

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.