Suplemento alimentar de ácidos graxos alivia os sintomas da TPM

Pesquisa da Universidade Federal de Pernambuco com 120 mulheres aponta benefícios

Fernanda Bassette, especial para o Estado,

17 Janeiro 2011 | 11h13

O fim da TPM pode estar mais próximo. Um estudo feito pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) renova a esperança de quem convive com o problema. Segundo os pesquisadores, ingerir uma cápsula de ácidos graxos por dia é capaz de reduzir em mais da metade os sintomas da tensão pré-menstrual.

Os ácidos graxos são um tipo de gordura essencial para o organismo, mas não são produzidos pelo corpo humano. Estão presentes em quantidade reduzida em alimentos como peixes, óleos de linhaça, de fígado e de bacalhau. Por isso, alguns médicos os recomendam em forma de suplemento na dieta.

Participaram do estudo 120 mulheres entre 17 e 37 anos diagnosticadas com o problema. Elas foram acompanhadas durante oito meses: dois antes do início do tratamento e seis durante a ingestão das cápsulas. Um grupo recebeu uma pílula com 1 grama de ácidos graxos, outro recebeu 2 gramas e o terceiro tomou placebo. Além disso, diariamente as voluntárias preenchiam uma escala de marcadores para descrever a intensidade dos sintomas.

Ao final do período, todos os grupos tiveram melhora, sem apresentar alteração nos níveis de colesterol: o primeiro grupo afirmou ter reduzido os sintomas em 64%, o segundo grupo em 74% e o terceiro, em 16%. “Os primeiros sinais de melhora surgiram depois de três meses e não houve relato de efeitos colaterais”, afirmou Edilberto Rocha Filho, autor do estudo e médico-assistente do Departamento de Ginecologia da UFPE.

Para o ginecologista Carlos Alberto Petta, professor-associado da Unicamp, o estudo é válido, mas o número de casos ainda é pequeno. Ele diz que, mesmo sem comprovação científica, é comum a prescrição de ácidos graxos no combate aos sintomas da TPM.

“Ainda se sabe muito pouco sobre os efeitos desses suplementos na TPM. Esse estudo vai contribuir para isso. Mas sabemos que nenhum tratamento alivia 100% dos sintomas”, diz Petta.

Álvaro Petracco, chefe da Unidade de Reprodução Humana da PUC-RS, alerta que as cápsulas sozinhas não eliminam o problema porque os sintomas mudam de mulher para mulher. “A TPM é multifatorial. Há quem precise de antidepressivo, há quem melhore apenas com anticoncepcional. Alternativas, como exercícios físicos, acupuntura e controle da alimentação também ajudam”, afirma.

Mais conteúdo sobre:
saúde TPM mulher tensão pré-menstrual

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.