Surto de norovírus atinge Salvador

Pesquisadores do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (UFBA) divulgaram ontem que o norovírus é o responsável pela diarréia e pelo vômito que vêm acometendo milhares de baianos, em períodos que variam, em média, de dois a três dias. Pelos números oficiais, cerca de 13 mil moradores de Salvador contraíram o norovírus. Ele apareceu em 55% de 846 amostras de fezes analisadas. Os dados do Serviço de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde apontam que outros 20% foram identificados como rotavírus, 12% astrovírus, e 4% adenovírus, que são incidências mais comuns na capital baiana. Outros Registros - Segundo o pesquisador Gubio Soares, há registros freqüentes do norovírus nos Estados Unidos e em países da Europa. Já ocorreram casos também no Rio, em 2002. Ele disse que seria necessária uma nova pesquisa para identificar como chegou e por que o norovírus vem se espalhando entre os baianos. O norovírus é transmitido pelo ar. A virose ataca adultos e crianças a partir de 5 anos de idade. Segundo Soares, o surto, que fez vítimas em Salvador desde a segunda quinzena de maio, ainda deve levar de três a quatro semanas para se encerrar. Não há também vacina, mas segundo ele, à medida que a temperatura subir, no final deste mês, a incidência dos casos do norovírus tende a diminuir. Para se ter uma idéia da expansão da virose, houve um crescimento de até 70% no atendimento em postos municipais de saúde nos meses de junho e julho, em comparação ao mesmo período de 2005. As pessoas que contraíram o norovírus relatam que o mal-estar começa com uma forte dor de cabeça, seguida de náuseas constantes. A perda do apetite vem acompanhada da ânsia de vômito, daí a necessidade de manter a hidratação do organismo. Os especialistas admitem que o perfil da doença é muito semelhante ao de uma forte gripe ou mesmo da dengue, por conta das dores no corpo, que na fase mais aguda podem incomodar o paciente. Embora a nutrição seja um fator importante para que o organismo resista à ação do vírus, o norovírus vem atacando em qualquer ambiente pois é de fácil transmissão. Essa característica explica por que foram registrados casos em igual proporção em bairros periféricos e de classe média de Salvador. Ainda assim, a procura nos postos de saúde pública foi maior no Subúrbio Ferroviário e em bairros populosos mais pobres, como Liberdade, Canabrava e Cajazeiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.