Taiwan vai investigar escândalo de leite adulterado na China

Já a Indonésia proíbe a entrada de produtos lácteos das empresas chinesas em seu território

Efe,

23 de setembro de 2008 | 02h05

O primeiro-ministro taiuanês, Liu Chao-hsiuan, anunciou nesta terça-feira, 23, o envio à China de uma comissão de funcionários e especialistas para se informar sobre o incidente de contaminação de produtos lácteos com melamina. Já o Governo indonésio proibiu, por um período de tempo indeterminado, a entrada de produtos lácteos chineses em seu território, com o objetivo de evitar que se estenda a crise. Leite adulterado leva 13 mil bebês para hospital na China  O envio coincide com uma escalada de anúncios de contaminação de produtos taiuaneses com ingredientes chineses e que já não se limitam aos lácteos, mas também a sopas e alimentos dietéticos. "O tema é muito importante e a comissão poderá recopilar mais informação que sirva de referência para tomar medidas que protejam a saúde do público", disse Liu, diante da imprensa da ilha. O Departamento de Saúde de Taiwan pediu aos taiuaneses que se abstenham de tomar produtos com ingredientes lácteos ou proteínas vegetais procedentes da China. Cinco empresas taiuanesas importaram um total de 30,5 toneladas de proteínas vegetais chinesas contaminadas, que foram utilizadas em bebidas, sopas e alimentos dietéticos, disse o vice-ministro de Saúde, Sung Ien-jen. Indonésia O Ministério da Saúde assegurou através de seu porta-voz, Lily Sulistyowati, que "as autoridades competentes estão examinando o leite chinês" e "os resultados serão conhecidos nos próximos 2 ou 3 dias". Como medida preventiva, a porta-voz disse que "os produtos (lácteos) chineses estão proibidos no mercado, por enquanto". No entanto, a marca de leite chinesa Guozhen poderá continuar sendo vendida no mercado indonésio graças a uma permissão especial da Agência de Supervisão de Remédios e Alimentos.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaTaiwanleite adulteradoalimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.