Tamanho de camundongos intriga cientistas na Escócia

Espécie encontrada na ilha de St. Kilda têm o dobro do peso de seus equivalentes de continentais

BBC Brasil, BBC

03 Setembro 2010 | 23h36

Cientistas pesquisam os motivos de os camundongos da ilha escocesa de St. Kilda terem se tornado tão grandes e fortes, dotados atualmente de quase o dobro do peso de seus primos continentais.

Os camundongos chegaram ao local, no leste da Escócia, há mais de mil anos, escondidos em sacos de grãos trazidos pelos Vikings, e se tornaram gigantes em relação a sua espécie, relata o repórter da BBC na Escócia, Colin Blane.

Em 1930, os moradores de St. Kilda, o mais isolado posto avançado britânico, abandonaram o local e deixaram a ilha para as colônias de pássaros, algumas centenas de ovelhas e os milhares de roedores.

Enquanto os camundongos caseiros não conseguiram resistir dois anos sem restos de comida e foram extintos, os campestres se mantiveram vivos.

Agora, pesquisadores da Universidade de Edimburgo estão caçando e medindo os ratos para entender os motivos de sua resistência.

O pesquisador Tom Black afirma que uma possibilidade é que os camundongos cresceram porque tiveram "pouca concorrência" de outras espécies e foram ameaçados por poucos predadores.

Isso também os teria ajudado a lidar com as condições climáticas extremas de St. Kilda. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
ratos escócia colin blane St. Kilda edimburgo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.