Taxa de fumantes nos EUA volta a superar 20% após 15 anos

Aumento verificado em 2008 é considerado inexpressivo e aponta para estabilização do número de fumantes

AP,

12 de novembro de 2009 | 16h13

A taxa de fumantes nos Estados Unidos voltou a superar a taxa de 20% após 15 anos, apontou estudo do Centro Norte-americano de Controle e Prevenção de Doenças, divulgado nesta quinta-feira, 12. Em 2008, um pouco menos de 21% da população dos EUA disse fumar frequentemente.

 

O aumento diante da taxa verificada em 2008, de 19,8%, foi considerado inexpressivo e aponta que o número de fumantes estagnou. "Apesar da estabilização, vejo que esbarramos em um muro se tratando do esforço em reduzir essa taxa", afirma Vince Willmore, porta-voz da Campanha Jovens Sem Cigarro.

 

A taxa de fumantes adultos tem diminuído desde a década de 1960, quando 2 em cada 5 cidadãos norte-americanos fumavam. Agora a proporção é de 1 em cada 5. O governo dos EUA havia estipulado uma meta para 2010 de 1 fumante a cada 10 cidadãos.

 

Existe uma percepção geral de que o cigarro está deixando de ser um das maiores preocupações da saúde pública nos EUA, colaborada ainda com as leis que restringem o fumo dentro de ambientes fechados e com a decisão do Congresso de permitir que a Agência de Alimentos e Remédios dos EUA regule o setor tabagista.

 

Mas os órgãos oficiais do governo detectam falhas no monitoramente e nas campanhas publicitárias dos estados, como também o esforço da indústria tabagista de, mesmo diante do aumento dos impostos, manter estável o valor comercial do cigarro.

Tudo o que sabemos sobre:
cigarrofumantesEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.