Gabriela Biló / Estadão
Gabriela Biló / Estadão

Teich se reunirá com Witzel no Rio para tratar da covid-19

Estado é um dos mais afetados pelo avanço do novo coronavírus no País

Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2020 | 11h56

BRASÍLIA - O ministro da Saúde, Nelson Teich, anunciou que visitará o Rio de Janeiro na sexta-feira, 8, onde se reunirá com o governador Wilson Witzel (PSC) para tratar da crise causada pelo avanço da covid-19. O Estado registrou 13.295 casos e 1.205 óbitos pela doença até quarta-feira, 6. O Rio de Janeiro tem seis hospitais federais.

Teich participa nesta quinta-feira, 7, de reunião de comissão da Câmara dos deputados que trata sobre a pandemia da covid-19. Além de anunciar visita ao Rio, o ministro afirmou que o governo busca um programa de triagem “mais preciso”, para detectar em ambulatórios pessoas infectadas pela doença e evitar superlotação em hospitais. “Vamos avaliar temperatura e saturação do oxigênio. Para encontrar precocemente, no laboratório, no ambiente externo (ao hospital)” os casos da covid, disse Teich.

O governador Witzel e Bolsonaro são inimigos políticos e trocam farpas em público com frequência. Eles também divergem sobre a estratégia de resposta ao vírus. Bolsonaro pede fim das quarentenas, enquanto Witzel promete ampliar medidas de isolamento social.

Na segunda-feira, 4, a rede estadual de saúde do Rio estava com apenas dois hospitais com leitos vagos destinados à casos graves do novo coronavírus. Principal foco do novo coronavírus no estado, a capital fluminense está em situação crítica, com 98% de suas vagas de UTI da rede municipal ocupadas até o começo da semana.

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE O CORONAVÍRUS

Por que o surto de coronavírus começou na China?


Não tenho carteira de trabalho e quero receber o auxílio emergencial. O que eu faço?


Qual é o efeito do coronavírus no corpo?


Coronavírus: quais os riscos para gestantes, lactantes e recém-nascidos?


Como diferenciar coronavírus e alergias

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.