Telescópio espanhol recebe câmera mais rápida do mundo

Equipamento permitirá registrar imagens com a nitidez similar à do Hubble

Efe,

19 de dezembro de 2011 | 16h29

O Grande Telescópio Canárias usará a câmera ultrassensível mais rápida do mundo. Ela tem uma resolução quatro vezes maior e o triplo da velocidade de instrumentos similares. Com isso, é capaz de superar as turbulências da atmosfera terrestre para obter imagens com uma nitidez similar à do Hubble.

Segundo o Instituto de Astrofísica de Canárias, no arquipélago espanhol de mesmo nome, nos próximos dias serão iniciados os trabalhos para instalar a câmera no sistema de óptica adaptativa em desenvolvimento no telescópio.

Com o novo dispositivo, o mais rápido com essas características até hoje, o maior telescópio óptico do mundo poderá tirar mais proveito de seu espelho primário de 10,4 metros de diâmetro.

De acordo com os responsáveis pela nova câmera, batizada de OCAM2, ela permitirá obter imagens com a mesma qualidade das registradas pelo Hubble.

Como em qualquer outro telescópio terrestre, uma dos principais problemas é a própria atmosfera. Apesar de ele estar instalado sob um dos céus com maior qualidade do mundo, as turbulências atmosféricas diminuem a nitidez das observações.

Para evitar isso, emprega-se uma técnica chamada óptica adaptativa, sistema que corrige as turbulências em tempo real, para que o astrônomo receba imagens mais claras.

Os sistemas de óptica adaptativa devem trabalhar em velocidades muito altas e em níveis de pouca iluminação. É aí que entra OCAM2, pois ela é capaz de captar 1500 imagens por segundo em estado próximo à escuridão total.

O projeto é resultado de cinco anos de trabalho financiados pela Comissão Europeia, Observatório Europeu Austral e Institut National des Sciences de l'Universe (CNRS).

Tudo o que sabemos sobre:
telescópiocâmeraHubbleCanárias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.