Temporão demonstra preocupação com dengue tipo 4

Entretanto, ministro da Saúde disse que não há comprovação da entrada e circulação do vírus 4 no Brasil

Fabiana Cimieri, de O Estado de S. Paulo,

28 de março de 2008 | 19h52

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, demonstrou preocupação com o estudo de pesquisadores de Manaus que disseram ter identificado o vírus da dengue tipo 4 em três moradores de Manaus. "Estou especialmente preocupado pela suspeita de que material biológico tenha saído do País sem autorização do governo brasileiro e que esses pesquisadores tenham tido conhecimento do fato sem informar as autoridades sanitárias, o que seria um crime", disse Temporão depois de participar de uma reunião sobre a epidemia de dengue, nesta sexta-feira, 28, no Rio.  Veja também: Especial - A ameaça da denguePoder público do Rio terá de pagar tratamento de dengueLarvicida ajuda Rio das Ostras-RJ a eliminar dengueLarvicida natural também é usado em três cidades do COFundação identifica dengue tipo 4 em Manaus; ministério negaTemporão demonstra preocupação com dengue tipo 4Epidemia de dengue ameaça 30 cidades do PaísFamosos doam sangue na luta contra dengue no Rio Rio deixou de investir repasse da Saúde contra dengue, diz TCMTemporão diz que Maia sabia do risco de epidemia de dengue Cesar Maia acusa ministério de omissão 'criminosa' por dengueMedo da dengue aumenta procura por repelentes no RioPM pode arrombar porta de quem dificultar trabalho de agenteDengue atinge status de epidemia no Rio O ministro informou que o ministério está analisando novamente as amostras, mas que, até o momento, não há comprovação da entrada e circulação do vírus 4 no Brasil. "Há dúvidas científicas nessa afirmação, sem uma confirmação pelos laboratórios de referência do Brasil. Eu peço à imprensa que não trate uma hipótese de forma irresponsável, isso seria de extrema gravidade nesse momento", afirmou ele.  Segundo especialistas, a introdução de um novo sorotipo da doença ia aumentar muito o número de casos porque a população ainda está completamente vulnerável e sem anticorpos. Também aumentaria o número de casos hemorrágicos, que ocorre com mais probabilidade em quem já teve outros tipos de vírus da dengue. O Ministério da Saúde considera inevitável a entrada do DENV-4, como é chamado o tipo 4 do vírus da dengue, que já circula em países vizinhos e do Caribe, como Venezuela, Equador e Honduras, mas faz monitoramento constante das fronteiras.  Estudos mostram que, mensalmente, 35 mil pessoas cruzam as fronteiras do Brasil com a Venezuela. A política do ministério é recomendar o combate ao vetor da doença e, diminuindo o número de mosquitos, reduzir a infestação e transmissão da dengue, mesmo com uma eventual entrada do vírus 4 no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.