Temporão elogia estudo que confronta política de saúde do País

Ministro parabenizou a iniciativa da FGV de estudar a eficácia da descentralização dos serviços de saúde

Tiago Décimo, de O Estado de S. Paulo,

10 de dezembro de 2008 | 18h56

Em Salvador, Bahia, onde participou de um encontro com representantes do governo estadual e de 45 prefeituras para discutir estratégias de combate à dengue, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, elogiou a iniciativa da Fundação Getúlio Vargas de promover um estudo sobre a eficácia da descentralização dos serviços de Saúde, com maior repasse de recursos diretamente aos municípios - um princípio do Sistema Único de Saúde (SUS).  Veja também: Estudo da FGV põe em questão a descentralização da saúde "Já pedi a eles uma cópia do material, foi uma boa iniciativa", afirma o ministro. "O ministério vai usar os dados nos estudos que realizamos para monitorar e aperfeiçoar os trabalhos." De acordo com a pesquisa, coordenada por Verônica Orellano e Fabiana Rocha, do Centro de Estudos de Política e Economia do Setor Público da FGV-SP, e apresentada nesta quarta-feira, 10, também na capital baiana, durante o 36º Encontro Nacional da Associação Nacional dos Centros de Pós-Graduação em Economia (Anpec), a descentralização não melhora o desempenho do setor. Em cidades de menos de 100 mil habitantes, o desperdício de verbas oriundas do ministério chega a 54%, em média.  "De uma certa forma, é possível que nos municípios menores haja dificuldades relativas à formação de redes, muitos importantes na Saúde, e à escala, citada no próprio estudo, que impacta muito nos custos e é difícil de ser conseguida em uma cidade pequena."

Tudo o que sabemos sobre:
saúdeJosé Gomes Temporão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.