Tensão pré-menstrual (TPM): doença ou "frescura"?

As mudanças de comportamento que ocorreram nas vidas das mulheres nos últimos anos proporcionaram o aparecimento de novas doenças, principalmente as relacionadas ao aparelho ginecológico e aos distúrbios psicossomáticos. As principais são a endometriose e tensão pré-menstrual (TPM). A sintomatologia da tensão pré-menstrual causa grande transtorno ao dia-a-dia das mulheres e repercute nas pessoas que convivem ao seu redor. As alterações de humor, com quadros de depressão e agressividade, atingem diretamente o companheiro, os filhos, outros membros da família e também colegas de trabalho. Os sintomas podem durar até 14 dias, coincidindo com a fase progestacional do ciclo menstrual. Atualmente, existem dados estatísticos comprovando aumento de acidentes de trânsito, de trabalho e domésticos quando a mulher encontra-se no período pré-menstrual. Todas as orientações médicas para este quadro devem ser compartilhadas pela paciente e pelo seu companheiro, pois é necessário que as pessoas que convivem com a mulher entendam que se trata de uma doença, não sendo possível que ela evite os sintomas ou ainda controlá-los. Dessa forma, não se deve cobrar delas apenas o autocontrole, já que muitas necessitam de tratamento com medicamentos e suporte psicoterápico. Portanto, trata-se de doença, com sintomas diversos, causados por alteração de substância química no metabolismo cerebral, e as mulheres que apresentam este quadro devem ser amparadas e compreendidas. *ginecologista obstetra do Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros (SP)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.