Teste genético para câncer de mama está próximo, diz estudo

Cientistas dizem estar perto de criar exame de genes que avalia risco da doença

Da BBC Brasil, BBC

26 de junho de 2008 | 17h48

Cientistas britânicos disseram estar próximos de desenvolver um teste para identificar defeitos genéticos que elevam o risco de câncer de mama. Em um artigo na publicação New England Journal of Medicine, eles sugerem que os testes poderiam ser aplicados a todas as mulheres acima de 30 anos, para determinar quais delas seriam examinadas regularmente para identificar os sinais da doença. Os cientistas sabem que o risco de câncer de mama é determinado em parte pela herança genética da mulher e em parte por outros fatores, como o estilo de vida. Testando pessoas com histórico familiar da doença, eles descobriram quais genes parecem estar contribuindo para este risco. O mais conhecido fator são defeitos nos genes BRCA1 e BRCA2, mas existem vários outros. Os cientistas afirmam que está se tornando possível descobrir o risco de as mulheres desenvolverem câncer de mama olhando apenas as combinações dos genes. A técnica seria importante para identificar a idade certa em que as mulheres precisam fazer os caros exames de ressonância magnética para detectar a doença. Uma mulher com baixo risco, segundo o método desenvolvido pelos cientistas britânicos, poderia começar a fazer testes apenas a partir dos 50 anos, enquanto uma mulher com alto risco teria de realizar os exames a partir dos 30 anos. "Nós estamos a poucos anos de uma nova e poderosa geração de testes genéticos para câncer de mama", disse o cientista Paul Pharoah, da Universidade de Cambridge. O teste, segundo ele, seria barato e simples, usando apenas a saliva das mulheres. "Nós esperamos que essa tecnologia se desenvolva muito rapidamente na próxima década, então é importante pensarmos em como podemos aprimorar os ganhos conquistados até agora", disse Bruce Ponder, do National Institute for Clinical Excellence. Uma porta-voz do grupo britânico de apoio a pacientes de câncer MacMillan Cancer Support disse que continua apoiando a realização de testes de ressonância magnética para todas as mulheres, independente da composição genética. "Nós pedimos a todas as mulheres que não evitem as ressonâncias. É um recurso que pode poupar vidas e todas as mulheres deveriam usá-lo."     BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.