FELIPE RAU / ESTADÃO
FELIPE RAU / ESTADÃO

Teste que detecta febre amarela em 20 minutos será oferecido pelo SUS

Inicialmente, 100 mil kits serão distribuídos em Estados com registros de disseminação do vírus causador da doença

Paula Felix, O Estado de S.Paulo

05 Março 2018 | 22h03

SÃO PAULO - Um teste para detectar a infecção pelo vírus da febre amarela em 20 minutos deve começar a ser oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em 30 dias, segundo o Ministério da Saúde. Inicialmente, 100 mil kits do teste rápido produzido pela Bahiafarma, laboratório ligado à Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, serão adquiridos pelo ministério e distribuídos para Estados com registros de disseminação do vírus.

+++ Com 723 casos e 237 mortes, surto de febre amarela no País já é pior do que o anterior

"Quando o paciente chega para ser atendido, há vírus diferentes com os mesmos sintomas. O teste rápido vai ser benéfico para o médico, que já vai poder tomar decisões", afirma Osnei Okumoto, coordenador-geral de Laboratórios de Saúde Pública do ministério.

+++ Cientistas caçam vírus da febre amarela

Ele diz que Estados com registros de macacos mortos e transmissão do vírus em humanos serão foco da distribuição dos kits.

+++ Nº de mortos pela febre amarela chega a 102; SP prorroga vacinação

"Todos eles vão com uma nota técnica sobre como devem ser usados. O médico, quando observa sintomas, pode descartar dengue, zika e chikungunya. Em um prazo de 30 dias, eles já devem estar disponíveis. Mas todo teste rápido é de triagem não é confirmatório. Ainda serão feitos exames complementares."

O valor de aquisição dos kits ainda não foi divulgado, e reuniões estão sendo realizadas para definir as estratégias de distribuição.

Além do diagnóstico rápido, o uso do teste tem como objetivo mapear a circulação do vírus pelo País. "Também vai ajudar a fazer o bloqueio na localidade em que houver casos."

Hoje, o teste do Instituto Adolfo Lutz, do governo do Estado de São Paulo, demora até 10 dias para ficar pronto. Para casos em humanos, o instituto entrega os exames entre três e cinco dias.

Segundo Ronaldo Dias, diretor-presidente da Bahiafarma, o teste é simples e é realizado com uma gota de sangue do paciente. "E, em 20 minutos, sai o resultado. O teste mostra se a pessoa tem a cobertura vacinal e se está com o vírus naquele momento."

Dias afirmou que o laboratório obteve autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no final do ano passado e que já fornece outros testes semelhantes para o ministério.

"Já estamos em um processo de fornecimento de testes rápidos para o Ministério da Saúde há cerca de dois anos. Agora que saiu o registro, vamos fornecer mais este. A gente está se formatando para atuar com testes de arboviroses, porque somos uma plataforma que tem a tecnologia e o campo para testar."

A Bahiafarma produz testes rápidos para dengue, zika e chikungunya. O teste para a febre amarela foi desenvolvido em parceria com o laboratório sul-coreano GenBody.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.