Tipo de tratamento evita internação em tempo integral

Objetivo desse tipo de tratamento é reabilitar socialmente o doente

Fernanda Bassette,

21 de abril de 2012 | 22h00

 O Hospital Dia do Instituto de Psiquiatria da USP é uma unidade que usa um modelo de tratamento de doenças psiquiátricas com internação parcial: o paciente fica no local das 8h às 16h, cinco dias por semana. O objetivo desse tipo de tratamento é reabilitar socialmente o doente.

Segundo o psiquiatra Renato Del Sant, diretor do hospital, a internação 24 horas visa a remissão dos sintomas, diminuir o delírio, as alucinações, a depressão aguda. O tempo médio de internação é de 20 dias.

"A diferença é que um hospital dia não visa a remissão do surto e sim a reintegração familiar, social, educacional, profissional, sexual e até espiritual do paciente. É um tipo de tratamento muito mais longo", explicou.

O tempo de internação, nesses casos, gira em torno de seis meses a 1 ano. O paciente passa por uma equipe multidisciplinar, que inclui vários especialistas entre médicos, enfermeiros, psicólogos, terapeutas ocupacionais, antropólogos e até mesmo cães. Eles também têm uma grade semanal de atividades.

A maioria dos pacientes em tratamento nesse tipo de hospital sofre de esquizofrenia e, por isso, precisa de tratamento prolongado. "Essa é uma doença com reabilitação difícil e, por sermos um hospital terciário, aqui recebemos os casos mais graves", diz o psiquiatra.

De acordo com Del Sant, quando recebem alta, os pacientes ainda são acompanhados clinicamente, no ambulatório. "A gente devolve para eles a saúde e a humanidade", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.