'Trânsito de Vênus' permite alinhamento do planeta com a Terra e o Sol

Evento astronômico raro pode ser visto a partir desta terça-feira, 5, nas Américas Central e do Norte

Efe,

05 de junho de 2012 | 19h00

O Trânsito de Vênus, visto nesta terça-feira, 5, nas Américas Central e do Norte e que continuou rumo à Europa, foi uma oportunidade única para a ciência, mas também para a curiosidade humana, asseguram especialistas.

 

"O interessante é que o fenômeno volta a ocorrer apenas em centenas de anos", disse à Agência Efe Eduardo Araujo, cientista da Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês). "O planeta passa entre a Terra e o Sol e é visto como um pontinho que percorre o Sol", explicou.

 

A distância é tão grande que não tem nenhum efeito sobre a Terra, mas é uma "grande oportunidade" para os cientistas estudarem os movimentos ondulares, as forças gravitacionais, a densidade e outros aspectos. Dados já foram recolhidos, mas os resultados não serão vistos imediatamente, uma vez que os estudos que apresentarão as primeiras descobertas só serão concluídos em meses.

 

"É uma oportunidade do ponto de vista do mundo científico, mas do ponto de vista da curiosidade humana é única também", assegurou Araujo, ao lembrar que nem todas as gerações têm a oportunidade de ver uma transição.

 

Os Trânsitos de Vênus são pouco comuns, acontecem em pares separados por oito anos e depois não voltam a ocorrer em menos de 100 anos. O último havia ocorrido em 2004, e, após este, de 2012, que completa o par, os especialistas calculam que não acontecerá outro até 2117.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.