Transtornos de ansiedade afetam mais as mulheres

Pare de roer as unhas! Se você, mulher, já ouviu essa frase, é séria candidata a desenvolver transtornos de ansiedade. Segundo o Ambulatório de Ansiedade (Amban) do Instituto de Psiquiatria da USP, a perturbação é mais comum em mulheres, especialmente naquelas em idade economicamente produtiva, entre 20 e 40 anos. "Não temos uma pesquisa exata no Brasil, mas estima-se que para casa homem ansioso existam duas mulheres na mesma situação", garante o supervisor da unidade, psiquiatra Luiz Vicente Figueira de Mello, que trabalha na área há dez anos. Segundo ele, vale lembrar que os homem relutam mais em procurar tratamento, o que dificulta a obtenção de estatísticas mais precisas. "Homens se queixam menos e raramente vão ao médico para tratar a ansiedade. Na maioria das vezes, o paciente só aparece quando a doença surge em um grau bastante elevado e chega a atrapalhar a vida da pessoa, como é o caso de quem tem insônia." Dicas para fugir da ansiedade - O Amban tem dicas para quem não pode fugir de uma vida excessivamente atribulada, permeada por inúmeros compromissos que parecem ser inadiáveis. "A primeira coisa que se deve fazer é organizar a bagunça! Agende os compromissos pela urgência, sempre existe algo que pode ser transferido para o dia seguinte. Pessoas ansiosas atropelam as coisas, acham que podem fazer tudo agora", diz Figueira de Mello. Segundo o especialista, fazer exercícios físicos regulares e manter uma alimentação saudável também são medidas indicadas. "Má alimentação pode provocar queda da taxa de glicemia na pessoa e, conseqüentemente, falta de atenção. É importante não ficar mais de três horas sem consumir alimentos", explica o médico. O mesmo cuidado com a alimentação deve ser tomado com as horas de sono. "Dormir bem é um fator essencial para ter boa disposição e boa concentração. Alguém com sono fica mais suscetível à falta de atenção", conclui o especialista. Não é à toa que metade dos acidentes de trânsito que acontecem nos EUA são provocados por cansaço. O dado foi apurado pela Comissão Norte- Americana sobre Distúrbios do Sono. Como sabiamente ensina a filosofia dos adesivos de caminhão: 'Com pressa? Saia mais cedo'.

Agencia Estado,

19 de abril de 2006 | 10h27

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.