Frederick Murphy/CDC via AP
Frederick Murphy/CDC via AP

Três novos casos de Ebola são confirmados em epidemia na República Democrática do Congo

Surto já atingiu ao menos 17 pessoas na cidade de Mbandaka; OMS alerta nove países vizinhos sobre risco de infecção

O Estado de S.Paulo

19 Maio 2018 | 08h54

Três novos casos de Ebola foram confirmados pelo governo da República Democrática do Congo (RDC) nesta sexta-feira, 18, em meio a uma nova epidemia do vírus no país. As infecções atingem uma cidade de mais de 1 milhão de habitantes, Mbandaka, na região oeste da RDC. Uma pessoa morreu após contrair a febre hemorrágica, e o número de infectados neste último surto chegou já chega a 17, além de 21 casos prováveis da doença e cinco suspeitos. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu não declarar a epidemia uma emergência global, mas disse em comunicado que o risco de o surto se espalhar na RDC era "muito alto". Nove países vizinhos foram alertados pela organização sobre a probabilidade de o surto atingí-los.  A OMS não recomendou restrições a viagens ou comércio internacionais.

+ OMS anuncia primeiro caso de Ebola em zona urbana na República Democrática do Congo

A epidemia servirá como teste para uma nova vacina experimental do Ebola, que foi usada para combater o surto que atingiu o oeste da África há cerca de cinco anos. Uma campanha de vacinação deve ter início no começo da próxima semana. Cerca de 4 mil doses da vacina já foram entregues ao país, e a expectativa é que mais carregamentos sejam entregues. Agentes de saúde tentam localizar cerca de 500 pessoas que tiveram contato com os infectados no país. A cidade atingida pelo surto, Mbandaka, fica ás margens do rio Congo, uma corredor de intensa circulação de passageiros e mercadorias.

Este é o nono surto do vírus Ebola na região desde 1976, quando a doença foi identificada. Até hoje, a maior parte dos casos atingiu aréas rurais isoladas. Surtos do vírus já atingiram a capital do país, Kinshasa, ao menos duas vezes no passado - ocasiões foi rapidamente controlado. A descoberta do primeiro caso confirmado da doença em uma zona urbana "é uma evolução preocupante, mas agora temos ferramentas melhores do que nunca para combater o Ebola", declarou o diretor-geral da OMS, o médico Tedros Adhanom Ghebreyesus nesta semana.

+ Documentário traz perspectiva inédita sobre epidemia de Ebola

A epidemia de Ebola mais importante da história foi registrada no oeste da África entre 2013 e 2016, com 11,3 mil mortos em um total de 29 mil casos, a maioria na Guiné, Libéria e Serra Leoa. / Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.