WERTHER SANTANA/ESTADÃO 27/05/ 2021
WERTHER SANTANA/ESTADÃO 27/05/ 2021

Três parentes de infectado pela variante Delta em SP têm sintomas leves de covid

Secretaria não informou, porém, se exames já confirmaram a contaminação pela mutação do coronavírus identificada originalmente na Índia; ele não tinha histórico de viagem

Igor Soares e Paula Felix, O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2021 | 13h45

Três parentes do homem infectado pela variante Delta do coronavírus em São Paulo estão em monitoramento pela Secretaria Municipal de Saúde. Ele, de 45 anos, foi o primeiro caso dessa nova cepa confirmado no Estado e teve apenas sintomas leves. Segundo o órgão, os três familiares também apresentaram sintomas da covid-19, como febre, dor no braço, dor de cabeça, perda do olfato e do paladar. O governo ainda não informou, porém, se é uma infecção pela Delta. O estado de saúde deles é considerado estável. 

De acordo com a secretaria, o paciente infectado, cuja a identidade tem sido mantida sob sigilo, não viajou para o exterior. Ele buscou o serviço de saúde em 19 de junho, apresentando sintomas leves da covid-19. No dia 21, o resultado deu positivo, mas não precisou de internação. Ele é hipertenso, considerada comorbidade para o coronavírus, e já está na faixa etária para se vacinar. Não tomou a injeção, porém, por ter apresentado sintomas da doença. 

Até então, no Estado só havia reportado um caso importado de Campos de Goytacazes, no Rio. Um homem havia chegado de viagem da Índia (país onde essa nova cepa foi originalmente identificada), passou pelo aeroporto de São Paulo e seguiu para o interior fluminense. Nesta semana, o Rio também confirmou dois casos na região metropolitana. 

Especialistas atrelam a Delta à onda de infecções que abalou a Índia no primeiro semestre. No pior dia da pandemia no país, a Índia chegou a concentrar 49% dos infectados e 28% dos óbitos do mundo em 24h, foram 3.980 mortes. Em maio, a variante foi classificada como uma cepa de preocupação pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Até agora, conforme cientistas, as vacinas disponíveis no Brasil têm eficácia contra essa nova variante. 

Quatro novas cepas do coronavírus que circulam no mundo são consideradas “variantes de atenção” pelas autoridades sanitárias e que podem apresentar um alto grau de transmissibilidade ou de agravamento do quadro clínico do paciente infectado. As variantes Gamma (P.1), Alpha (B.1.1.7), Beta (B.1.351) e Delta (B.1.617.2) já foram identificadas em circulação no País pelo Instituto Adolfo Lutz e pelo Centro de Vigilância Epidemiológica. São 489 casos dessas quatro novas cepas do coronavírus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.