Tribunal autoriza primeiro caso de eutanásia na Coréia do Sul

A idosa de 75 anos está em coma desde fevereiro e não tem possibilidade de se recuperar

Efe

28 de novembro de 2008 | 15h04

Um tribunal sul-coreano decidiu nesta sexta-feira, 28, a favor do direito de morrer de uma mulher de 75 anos que se encontra em estado vegetativo, no que constitui o primeiro caso de eutanásia na Coréia do Sul, informa a agência Yonhap. Veja também:Corte européia rejeita protestos contra eutanásia de italiana Um tribunal civil aceitou a reivindicação apresentada pelos filhos de uma idosa de 75 anos para que se desligue o aparelho de respiração artificial de sua mãe. A idosa, identificada por seu sobrenome Kim, está em coma desde fevereiro passado, após um exame médico em um pulmão, e não tem possibilidade de se recuperar. Na sentença, o tribunal ressaltou que a idosa não poderá recuperar sua consciência nem sobreviver sem um aparelho, por isso o atual tratamento médico não poderá facilitar sua recuperação. O tribunal, no entanto, deixou claro que esta sentença não representa a aprovação da eutanásia em geral, e se limita unicamente a este caso.

Tudo o que sabemos sobre:
eutanásiaCoréia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.