Turbinar panturrilhas com silicone vira moda entre mulheres e homens

Segundo pesquisa do Ibope, mais de 2.370 brasileiros fizeram esse tipo de cirurgia em 2009

estadão.com.br

17 Setembro 2010 | 19h42

SÃO PAULO - Exercícios para tornear as pernas e as panturrilhas nem sempre dão o resultado esperado. Para resolver o problema, muitas mulheres e também homens recorrem ao silicone na batata da perna. Segundo pesquisa do Ibope, mais de 2.370 brasileiros fizeram esse tipo de cirurgia em 2009 - atrás apenas de mamas/tórax, glúteos e queixo.

 

A cirurgia para colocação da prótese tem sido aperfeiçoada nos últimos anos e cada vez mais procurada. O procedimento cirúrgico é relativamente simples e seguro.

 

A operação consiste em implantar o silicone por meio de um pequeno corte de 3,5 cm na prega posterior da dobra do joelho, sob anestesia geral, raquidiana ou peridural e sedação. O volume da prótese deve ter relação entre a altura, o peso e a vontade do paciente.

 

Existem dois desenhos de próteses: um deles, simétrico, tem sete tamanhos. O outro, assimétrico, tem três tamanhos. Podem, ainda, ser utilizados implantes sob medida.

 

O pós-operatório não exige grandes sacrifícios: a pessoa recebe alta para andar em 8 horas. "Nos primeiros 7 dias, é necessário usar meias elásticas. As atividades físicas intensas só podem ser retomadas 45 dias após o procedimento", afirma o cirurgião plástico Raul Gonzalez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

 

Outro ponto positivo é que as próteses são definitivas, não sendo preciso substituí-las com o passar dos anos, como é o caso do silicone nos seios. "São implantes muito resistentes", diz o cirurgião plástico Nicola Menichelli, também membro titular da SBCP.

 

De acordo com a Silimed, única fabricante de implantes de silicone da América Latina, a procura por próteses de panturrilha cresceu 15% de 2008 para 2009. Os Estados onde a procura é maior são: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

 

Os tamanhos mais pedidos são de 140 ml e 180 ml. As peças especiais, feitas sob medida, têm volumes variados, mas usualmente são maiores que as convencionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.