Ina Fassbender/Reuters
Ina Fassbender/Reuters

UE pede à Alemanha verificação sobre exportações de produtos contaminados

Mais de mil fazendas do país que tinham ovos e carnes com dioxina tiveram de ser fechadas

Efe

04 Janeiro 2011 | 15h14

BRUXELAS - A Comissão Europeia pediu às autoridades alemãs nesta terça-feira, 4, que verifiquem se o país exportou ovos e carnes contaminados com dioxina (composto químico obtido a partir de processos de combustão de cloro) para outras nações da União Europeia (UE), depois que mais de mil fazendas da Alemanha tiveram de ser fechadas na última segunda-feira por esse motivo.

O Executivo comunitário transmitiu a mensagem às autoridades do país em uma conferência telefônica com representantes das duas partes nesta manhã, segundo informou o porta-voz da área de Saúde, Frédéric Vincent. "Até onde sabemos, esse problema só afeta a Alemanha, mas pedimos às autoridades que comprovem se exportaram produtos para outros lugares, sejam ovos, carnes ou qualquer outro item", disse.

Vincent considera que "é cedo demais" para que a comissão se pronuncie a favor de proibir a Alemanha de exportar produtos desse tipo. Por enquanto, as autoridades do país devem esclarecer o fato e tomar as medidas necessárias, informando pontualmente sobre elas ao Executivo comunitário.

Mais de mil de fazendas de galinhas, porcos e perus em cinco Estados da Alemanha foram fechadas na última segunda-feira após detectar-se que muitas delas tinham comprado produtos com dioxina, embora as autoridades garantam que essa contaminação "não representa um risco para o consumo humano".

As primeiras pesquisas oficiais assinalam que a origem da dioxina se encontra em um fabricante de biodiesel de Emden, na Baixa Saxônia. Essa mesma empresa forneceu supostamente ácido graxo contaminado a um fabricante de comida para animais, que produziu toneladas de alimentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.