UE vai destinar 280 mi de euros para pesquisas contra o Ebola

UE vai destinar 280 mi de euros para pesquisas contra o Ebola

Objetivo é impulsionar a pesquisa sobre o vírus e avançar no desenvolvimento de vacinas e medicamentos

O Estado de S. Paulo

06 Novembro 2014 | 13h52

A Comissão Europeia e a indústria farmacêutica da União destinarão 280 milhões de euros em pesquisas para combater o Ebola na África Ocidental. O dinheiro se somará a um bilhão de euros já comprometidos contra a doença, segundo informou nesta quinta-feira, 6, a Comissão Europeia.

A nova ajuda se enquadra em um conjunto de propostas para impulsionar a pesquisa sobre o vírus e, em particular, para responder à epidemia e gerir futuros surtos.

Com este financiamento, procedente da iniciativa Horizonte 2020 e da indústria, a União Europeia (UE) está avançando "no desenvolvimento de novas vacinas e medicamentos para ajudar a salvar vidas", disse em um comunicado o comissário europeu de Investigação, Carlos Moedas.

Além disso, a assistência europeia está servindo para o envio de material e para ajudar a transportar os médicos que trabalham nas zonas afetadas.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e nove Estados membros - Áustria, Bélgica, República Checa, Finlândia, Hungria, Holanda, Romênia, Eslováquia e Reino Unido - ofereceram ambulâncias, hospitais móveis e material de laboratório a uma embarcação que partirá nesta quinta-feira da Holanda, em uma operação coordenada pelo mecanismo de Proteção Civil da UE.

Foi o que explicou Margaritis Schinas, porta-voz chefe da Comissão Europeia, em coletiva de imprensa. Ela também disse que a UE está "redobrando os esforços na luta contra o Ebola".

O recém nomeado coordenador da União Europeia para a luta contra o Ebola e comissário para a Ajuda Humanitária e Gestão de Crise, Christos Stylianides, assegurou que o transporte das equipes médicas é um fator crucial para "animar mais profissionais para que se somem à resposta contra o Ebola".

Stylianides também aplaudiu a liderança de Luxemburgo nesse sentido, pois o país contribuiu com o envio de aviões equipados para transportar os profissionais contaminados com Ebola na África.

Os líderes da UE anunciaram no dia 24 de outubro que a União Europeia aumentaria em um bilhão de euros suas contribuições para combater o Ebola nos países mais afetados na África Ocidental. /COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Mais conteúdo sobre:
União EuropeiaEbola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.