Um em cada cinco chineses sofre de uma doença crônica

Males estão ligados ao envelhecimento, modos de vida pouco saudáveis, consumo de tabaco e menos exercício

EFE

01 Março 2009 | 03h45

Um em cada cinco cidadãos chineses sofre uma doença crônica relacionada com problemas cardíacos, hipertensão ou diabetes, de acordo com um estudo nacional elaborado pelo Ministério da Saúde e o qual a agência oficial "Xinhua" divulgou. O relatório mostra fortes aumentos de doenças tais como a hipertensão e o diabetes, que em uma década triplicaram seus números, enquanto as doenças coronárias e o câncer se duplicaram, segundo a informação. O envelhecimento da pirâmide populacional chinesa, a adoção de modos de vida e dietas pouco saudáveis, o maior consumo de tabaco e a diminuição do exercício no país mais povoado do mundo foram os principais fatores deste aumento das doenças crônicas, segundo o estudo. A nota de "Xinhua" dá especial atenção ao fenômeno do tabagismo, em um país onde há 270 milhões de fumantes e o hábito é essencialmente masculino (48% dos homens chineses fuma, contra o 3,2% das mulheres). O estudo mostra também uma diminuição das doenças infecciosas no últimos cinco anos, graças principalmente às campanhas de vacinação (em 2003 as vacinas cobriam 88% das crianças, contra 98% atual).

Mais conteúdo sobre:
DOENÇASCHINA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.