Um parque sob encomenda para pessoas especiais

Cego desde que nasceu, Alexsandro José de Lima, 33 anos, esperou a vida toda para encontrar um lugar ideal para praticar corrida. "Todo final de semana eu gosto de correr, mas sempre é muito difícil. Não consigo desviar das pessoas, das bicicletas, das árvores. Agora vou ter um espaço todo adaptado para mim." Desde o começo deste mês, Alexsandro e todos os deficientes físicos de São Paulo podem freqüentar o Parque do Trote, na Vila Guilherme, na zona norte da capital paulista. É o primeiro parque paulistano planejado para os portadores de necessidades especiais.As obras começaram em março e a Prefeitura pagou uma indenização de R$ 80 milhões à Sociedade Paulista do Trote, para tomar posse do terreno, de 180 mil m². Com uma pista de caminhada de 457 metros adaptada aos deficientes, o parque tem 2 mil mudas aromatizadas e deve beneficiar 300 mil moradores de Vila Guilherme.A primeira parte do parque, que foi inaugurada dia 2, conta com pista de corridas com corrimão, ciclovias adaptadas e canteiros de plantas aromatizadas e texturizadas, como arruda e babosa, para facilitar a mobilidade, principalmente, dos deficientes visuais. A segunda fase, que será a de revitalização das casas antigas, só ficará pronta em outubro."Será o parque da inclusão total. Apesar da reforma contemplar as necessidades dos deficientes, o Parque do Trote é um benefício para os cerca de 300 mil moradores de Vila Guilherme. Eles vão ganhar qualidade de vida", afirmou o subprefeito de Vila Maria/Vila Guilherme, Antônio de Pádua Perosa.Até o ano passado, o Parque do Trote estava abandonado e era ocupado por 30 famílias em situação irregular e uma oficina de reciclagem clandestina. Há 20 anos, funcionou lá o Hipódromo de Vila Guilherme, onde aconteciam corridas de charretes. Em 1986, o espaço foi desapropriado pelo então prefeito Jânio Quadros. Eliseu Esaú dos Santos, morador do bairro, comemorou o novo parque. "Moro aqui há 12 anos e a gente dividia o Trote com lixo, usuários de drogas, mau cheiro. Ficou muito bonito. Eu e minha filha de 14 anos não vamos mais sair do parque", disse ele que trabalha como técnico em informática.O subprefeito Perosa ressaltou que, além da área de lazer, o Parque do Trote irá valorizar os imóveis do bairro. "Com um parque desse tamanho, a região tende a se tornar algo parecido com a Aclimação, com condomínios de grande porte e lojas de comércio", afirmou.O parque será administrado pela Secretaria do Verde e Meio Ambiente e gerenciado pela Subprefeitura de Vila Maria/Vila Guilherme. Fica aberto todos os dias, 6h às 22h.

Agencia Estado,

13 de julho de 2006 | 13h09

Tudo o que sabemos sobre:
especiais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.