Uma aspirina ao dia pode reduzir o risco de câncer de cólon

Dependendo do tempo de uso, redução pode variar entre 19% e 31%

Efe

16 Setembro 2010 | 12h52

LONDRES - Um aspirina diária pode reduzir significantemente o risco de câncer de cólon, segundo um novo estudo britânico no qual participaram 2.800 doentes e 3.000 pessoas saudáveis.

 

O estudo da Universidade de Edimburgo, e publicado na revista "Gut", indica que tomar uma aspirina diária durante um ou dois anos reduz o risco de câncer de cólon em cerca de 19%. Se for administrada em um período entre três e cinco anos, a redução é de 24% e até 31% se tomada entre cinco e dez anos.

 

Estudos anteriores indicavam que seriam necessárias doses muito altas de aspirina para conseguir reduzir os riscos de câncer de cólon, mas a equipe de cientistas da Universidade de Edimburgo chegou à conclusão de que basta uma aspirina de 75 miligramas diariamente.

 

Segundo o professor Malcoln Dunlop, do Western General Hospital de Edimburgo, que dirigiu o estudo, "não são necessárias doses elevadas de aspirina para proteger-se do câncer de cólon e reto, já que a proteção aumenta com a duração do tratamento, e os efeitos já são aparentes no final de cinco anos".

 

Os comprimidos de 75 milímetros, uma dose inferior a utilizada como analgésico, já são recomendados a muitas pessoas que sofreram algum ataque cardíaco.

Mais conteúdo sobre:
Câcer de Cólon Aspirina pesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.