Friedemann Vogel/EFE/EPA
Friedemann Vogel/EFE/EPA

Um em cada 16 pacientes da covid-19 apresenta transtornos mentais

Pesquisa da Universidade de Oxford analisou 62 mil pacientes e identificou ansiedade, depressão e insônia no período de três meses após a infecção

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2020 | 13h01

Um em cada 16 pacientes que tiveram a covid-19 desenvolve algum tipo de transtorno mental dentro de três meses após a doença. O risco é duas vezes maior para os que precisaram ser hospitalizados por conta da doença causada pelo novo coronavírus. As conclusões são de um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Oxford, da Inglaterra, e publicado no domingo, 16, na plataforma científica de artigos MedRxiv. A pesquisa ainda não foi submetida à revisão de outros pesquisadores.

A covid-19 levou a uma incidência maior de ansiedade, depressão, insônia e, de maneira mais rara, demência. Nesses casos, os transtornos foram revelados em até três meses após o contágio. "Este risco é cerca de duas vezes maior do que o esperado entre pacientes que foram hospitalizados", disse o pesquisador que chefiou o estudo britânico, Maxime Taquet.

Para chegar a essas conclusões, os cientistas analisaram 62 mil pessoas que se recuperaram do coronavírus. A pesquisa também apontou que pessoas com alguma doença mental já existente têm um maior risco de desenvolver a covid-19. As análises foram feitas em comparação com o surgimento de transtornos em tratamentos de outras doenças, como influenza, infecções respiratórias e de pele, pedra na vesícula e nos rins e fraturas graves.

Os resultados da pesquisa se somam a outros estudos que também comprovam a relação entre covid-19 e transtornos mentais. Embora seja uma doença nova e que ainda possui muitos efeitos secundários desconhecidos, pesquisas indicam que o Sars-CoV-2 pode afetar, além dos pulmões, o coração, os rins, o intestino, o sistema vascular e o cérebro.

Em julho, estudiosos da University College London (UCL) publicaram artigo na revista científica Brain com a análise de 43 pacientes da covid-19 que apresentaram complicações neurológicas graves após a infecção, como delírio, tremores, psicose, além de danos ao cérebro em alguns casos, como derrame.

No início de agosto, um outro estudo feito em um hospital da Itália mostrou que 55% dos 402 pacientes internados em decorrência da covid-19 desenvolveram ao menos um transtorno psicológico.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.