MIGUEL MEDINA / AFP
MIGUEL MEDINA / AFP

Uma mulher de 103 anos sobrevive ao coronavírus no Irã

A idosa é a segunda paciente de idade muito avançada que contrai a covid-19 e se recupera no Irã

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2020 | 11h20

TEERÃ — Uma mulher de 103 anos foi curada do novo coronavírus no Irã, apesar da alta mortalidade que sofrem as pessoas com mais de 70 anos, informou a agência oficial iraniana Irna.

A paciente havia sido hospitalizada na cidade de Semnan, a 180 km ao leste de Teerã, informou a Irna, que não especificou em qual cidade vive a mulher.

Ela foi "autorizada a sair do hospital depois de ter se recuperado totalmente", disse Navid Danayi, diretor do centro hospitalar universitário da cidade, à agência.

Segundo a Irna, a idosa é a segunda paciente de idade muito avançada que contrai a doença covid-19 e se recupera no Irã. A agência cita o caso de um  homem de Kerman, no sudeste do país, que sobreviveu à pneumonia viral aos 91 anos. Ele se curou depois de ter estado doente durante três dias, apesar de sofrer de hipertensão e asma, dois agravantes. Não foi especificado qual tratamento esses dois pacientes receberam.

Fora da China, país onde se registraram os primeiros casos da doença no final de 2019, o Irã é um dos países mais afetados pela pandemia de covid-19. Quase mil pessoas morreram devido ao novo coronavírus, que não perdoa nenhuma das 31 províncias do País, segundo o último balanço oficial, que registra mais de 17 mil contagiados.

Em 9 de março, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, declarou que dos 80 mil casos de enfermos que foram reportados na China, "mais de 70%" estava curados. Segundo um informe da OMS feito em colaboração com as autoridades chinesas, a taxa de mortalidade alcança 21,9% para os pacientes de covid-19 que têm mais de 80 anos./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.