Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Unimed Paulistana tem dívida superior a R$ 1 bi

Empresa enfrenta grave crise e teve de transferir a carteira de beneficiários para outras operadoras por determinação da ANS

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

28 Outubro 2015 | 03h00

SÃO PAULO - A nova diretoria da Unimed Paulistana informou nesta terça-feira, 27, em reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Planos de Saúde que a dívida fiscal da operadora supera R$ 1 bilhão. A empresa enfrenta grave crise e teve de transferir a carteira de beneficiários para outras operadoras em setembro por determinação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

“Com certeza, a dívida é de mais de R$ 1 bilhão. Apesar de a gestão anterior alegar que a dívida de tributos não chegava a R$ 300 milhões, no início da nossa gestão, com o levantamento adequado, sabemos que, já no fim de março, o valor dessa dívida superava os R$ 700 milhões”, diz Marcelo Nunes, presidente da Unimed Paulistana.

O ex-secretário da operadora, David Serson, deixou a reunião sem falar com a imprensa. A operadora não informou o valor da dívida com fornecedores. “O valor é flutuante e depende de fechamento e auditoria de contas médicas ainda em produção”, disse, em nota.

Segundo a Unimed, 1.200 funcionários do setor administrativo foram demitidos e outros 400 estão cumprindo aviso prévio. “A gente bloqueou o fundo garantidor que a cooperativa médica tem com a ANS para garantir o pagamento da verba rescisória”, afirma Giovanny Renato, assessor de marketing do Sindicato dos Empregados de Cooperativas Médicas do Estado de São Paulo (Secmesp). 

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Unimed Paulistana

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.