Universidade de Londrina suspende aulas para evitar gripe

A universidade não tem casos confirmados da doença mas levou em consideração os casos monitorados

Rita Cirne, da Central de Notícias,

25 Junho 2009 | 13h53

niversidade Estadual de Londrina (UEL)   suspendeu na manhã desta quinta-feira, 25, as aulas e todas as suas atividades administrativas. A decisão foi tomada pela manhã, em uma reunião de emergência para evitar a propagação da gripe suína,e vale até segunda-feira, quando as atividades serão retomadas.

 

Veja também:

linkQuem vem da Argentina e Chile tem de fazer declaração

linkPaís reforça fiscalização da gripe

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

A universidade não tem casos confirmados da doença mas levou em consideração os casos monitorados e o fato de que uma estudante universitária da Unesp (que contraiu a gripe) teve contato direto com servidores e estudantes da UEL, no último dia 16 de junho.  

 

A partir de hoje só vão funcionar os serviços de emergência fundamentais como Hospital Veterinário  e de Clínicas. O reitor da UEL, Wilmar Marçal, justificou a medida como preventiva, para evitar problemas. Segundo ele, atividade acadêmica preconiza reuniões em locais fechados, o que facilita a difusão do vírus.

 

Nesta quinta, por recomendação das autoridades sanitárias, 25 pessoas do Centro de Ciências Agrárias (CCA) e do setor de Anatomia da UEL estão afastados das atividades por 10 dias. Estes pacientes são monitorados pelas autoridades sanitárias, sendo que uma paciente, servidora técnica-administrativa, está internada apresentando os sintomas da doença.

 

A administração da universidade apurou que a estudante da Unesp - cujo caso foi confirmado como Gripe Influenza - circulou pelo Restaurante Universitário e Biblioteca Central, locais de grande concentração de pessoas. A estudante também teve aulas no Laboratório de Anatomia e ainda manteve contato com estudantes das áreas agrárias. Todos os casos estão sendo monitorados pela Vigilância Sanitária, que tomou as providências, visando o bloqueio da cadeia epidemiológica de transmissão do vírus H1N1.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.