AFP / Robyn Beck
AFP / Robyn Beck

Uruguai abre 1º laboratório de remédios derivados da maconha na América Latina

Laboratório, inaugurado em parceria com empresa canadense, tem potencial para atender toda a América do Sul

O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2018 | 01h16

MONTEVIDÉU - O Uruguai inaugurou nesta quarta-feira, 28, em parceria com a empresa canadense Aurora, o primeiro laboratório de remédios derivados da maconha da América Latina. O presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, participou da cerimônia e fez um tour pelo local.

Durante entrevista coletiva, o executivo-chefe da International Cannabis Corporation (ICC LAB) - empresa comprada pelo Aurora Cannabis -, Alejandro Antalich, declarou que o laboratório tem capacidade de produção para atender toda a América do Sul. De acordo com o executivo, seria possível até mesmo tentar ser fornecedora da América Central e do México.

"Por muito tempo, o Uruguai foi conhecido como a Suíça da América. Acho que hoje, pelas mãos da Aurora, levando em conta que estamos criando uma nova indústria no Uruguai, temos a possibilidade de o país voltar a ser chamado assim", disse Antalich.

Segundo ele, a empresa investiu US$ 20 milhões no empreendimento. Do total, US$ 12 milhões foram destinados ao laboratório, que possui equipamentos de última geração importados de Itália e Canadá.

"O mais importante para a empresa sempre foi poder conseguir integrar verticalmente toda a matriz produtiva no Uruguai, o que nos permite ter acesso a custos de produção muito baixa e que nos transforma em um ator muito competitivo em nível mundial", explicou.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Por muito tempo, o Uruguai foi conhecido como a Suíça da América. Acho que hoje (...) temos a possibilidade de o país voltar a ser chamado assim
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Alejandro Antalich, executivo-chefe da ICC LAB

Antalich explicou a jornalistas que o laboratório primeiro produzirá óleo de cannabidiol - componente não psicoativo da planta da maconha. Depois, focará também em outras vias de administração, como cápsulas, cremes e aerossóis.

A empresa também terá a uma equipe responsável por investigar as propriedades dos medicamentos derivados da maconha e criará uma fundação para capacitar médicos do Uruguai sobre os benefícios do uso da substância no tratamento de doenças.

O Uruguai foi o primeiro país do mundo a legalizar a maconha, em 2013, ainda sob a presidência de José Mujica. Em julho de 2017, o governo autorizou a venda de maconha para o uso recreativo em farmácias.

Maconha como remédio no Brasil

Veja abaixo a série de vídeos produzidos pela TV Estadão sobre o dilema de brasileiros que dependem do cannabidiol (medicamento à base de extrato de maconha) e que não possuem o direito de cultivar a planta em casa e nem podem arcar com os altos custos do remédio importado dos Estados Unidos.

Episódio 1: a maconha como remédio

Episódio 2: uma questão de saúde e qualidade de vida

Episódio 3: a vida não espera por habeas corpus

Episódio 4: pai mostra como produz óleo de maconha em casa

\ EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.