FELIPE RAU/ESTADAO
FELIPE RAU/ESTADAO

Vacinação contra gripe começa em SP com filas demarcadas e apelo por comparecimento

Idosos são público-alvo nesta etapa da campanha; nos postos de saúde, há marcas no chão para delimitar um metro de distanciamento entre as pessoas

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

23 de março de 2020 | 08h29

SÃO PAULO - Calçadas ao redor de Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de São Paulo amanheceram demarcadas nesta segunda-feira, 23, para garantir que idosos não se aglomerem nas filas para a vacinação contra gripe, cuja campanha começa com meta de imunizar 1,8 milhão de pessoas em meio à pandemia do novo coronavírus.

Há marcas no chão para delimitar um metro de distanciamento entre as pessoas e a promessa da Secretaria Municipal de Saúde é de que todas as unidades terão um fluxo interno para garantir que as pessoas permaneçam afastadas umas das outras, de modo a evitar a contaminação pela nova doença.

"Além da pandemia, a cidade de São Paulo também enfrenta um surto de influenza", disse o prefeito Bruno Covas (PSDB), que foi até a UBS Max Perlman, na Vila Nova Conceição, zona sul, onde atendeu jornalistas em um esforço de mostrar que é possível ir aos postos e evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

"A secretária de Saúde montou uma estrutura própria para que os idosos possam ser bem recepcionados nas UBS. Estamos ampliando os espaços e com com as escolas a gente já dobra o número de opções para eles poderem ir", disse Covas, ao comentar o temor que parte da população tem em ir ao posto para se vacinar contra a gripe e contrair a covid-19.

O secretário de Saúde, Edson Aparecido, ressaltou que mesmo quem tem sintomas de gripe, ou até suspeita do novo coronavírus, deve se vacinar. "A pessoa passa por uma avaliação e, dependendo do caso, é atendida na UBS."

A Prefeitura montou 110 tendas de vacinação pela cidade. Há ainda 468 UBSs (veja neste link onde está a unidade mais próxima) e 450 escolas que, fechadas, estão atendendo os idosos (confira aqui quais escolas recebem postos volantes). Outras 600 instituições diversas, como clubes, associação de moradores e casas de repouso, também terão vacinação.

Além disso, 264 vans levarão equipes de saúde para atender pessoas acamadas. Outra medida são os "drive-thrus" itinerantes, em que será aplicada a vacina diretamente nas pessoas dentro dos carros. Na UBS Max Perlman, por exemplo, uma das faixas de trânsito foi organizada para a prestação desse serviço.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.