Arquivo/AE
Arquivo/AE

Vacinação contra gripe suína não atinge meta para grávidas e jovens

Apenas 63% das grávidas foram vacinadas; gestantes ainda podem procurar a vacina até dia 21

Agência Estado

07 Maio 2010 | 14h51

RIO - Para justificar o baixo índice de mulheres grávidas vacinadas na campanha contra a gripe suína, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou nesta sexta-feira, 7, que "aparentemente ainda existe certa resistência" à vacina. Foram imunizadas até agora 1,9 milhão de gestantes, o que representa uma cobertura de 63% para o grupo, ficando abaixo da meta de 80% do governo.

 

Veja também:

linkVacinação da gripe comum para idosos começa sábado em 15 Estados e no DF

linkUnifesp recruta voluntários para desenvolver nova vacina contra gripe A

linkAvenida Paulista ganha novo posto de vacinação

 

"É importante que as mulheres saibam que essa vacina não traz nenhum risco para elas nem para a saúde do bebê", disse o ministro. Ele atribuiu o resultado para esse grupo a "ruídos e lendas urbanas" que circularam em e-mails na internet. "Ainda estamos muito abaixo da meta que queremos alcançar."

 

As grávidas - em qualquer fase da gestação - devem procurar um dos 36 mil postos e centros de saúde do País. O prazo de vacinação para este grupo vai até o dia 21.

 

Durante a entrevista coletiva sobre o balança parcial da campanha nacional de vacinação, Temporão afirmou que a cobertura dos grupos dos trabalhadores de saúde e das crianças menores de 2 anos chegou a 100%. A meta também foi oficialmente alcançada entre os doentes crônicos de todas as faixas etárias, com 14,4 milhões de vacinados (82%). Já no grupo dos jovens de 20 a 29 anos, foram vacinados 24,5 milhões, ou 69%, marca ainda abaixo da meta. A quinta etapa da campanha, destinada à população de 30 a 39 anos, vai começar na segunda-feira. Estima-se que 30 milhões deverão ser vacinados nesta faixa.

 

Prorrogação

 

Temporão reconheceu a eventual necessidade de prorrogar a vacinação em alguns Estados para conseguir atingir a meta de imunizar 80% do público-alvo. O total, que hoje está em 47,5 milhões de pessoas, chegaria a 91 milhões até o dia 21, segundo a previsão oficial. A prorrogação vai depender do resultado de um novo balanço nacional. No caso do Rio, porém, onde foi registrada a mais baixa cobertura entre adultos de 20 a 29 anos, já está definido que haverá prorrogação.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.